Bem-vindos ao Blog do site de Desporto e Educação Física www.desportoweb.com.sapo.pt Visitem

quinta-feira, julho 28, 2005

hidrospinning hydrorider

Esta modalidade tem diversos tipos de benefícios:

· -Adaptação ao meio aquático na posição vertical/sentado;

· -Prevenção da Osteoporose

· -Aumento da condição física na generalidade;

· -Ausência de impacto articular

· -Controlo da Hipertensão

· -Conhecimento corporal;

· -Melhoria da postura;

· -Melhoria do sistema cardio-vascular;

· -Perda de Peso

Hugo Cruz

terça-feira, julho 12, 2005

osteoporose e actividade física

No tratamento da Osteoporose , a atividade física deverá ser praticada com o principal intuito de interromper a perda óssea, ao invés de se esperar um grande aumento na densidade mineral óssea (DMO) dos praticantes.
Assim como os músculos, os ossos permanecem fortes com a prática regular de exercícios . A manutenção da massa óssea, ou o seu incremento, parece estar relacionada não só com a contração muscular, mas também com a ação da gravidade e com o estresse mecânico a que o osso está submetido. Reforçando o efeito da ação da gravidade, observou-se notável perda óssea em astronautas que retornaram de missões especiais. Observou-se que após passarem 10 dias no espaço, livres da ação da gravidade, os astronautas perderam grande parte do conteúdo dos ossos do calcanhar. Outro fato importante é que as pessoas que não correm habitualmente possuem 1/5 a menos de conteúdo mineral do fêmur do que os corredores de longas distâncias. Sabe-se ainda que um período de seis meses na cama pode extrair dos ossos cerca de 40% do seu conteúdo mineral.
Exercícios com sustentação do peso do corpo, como caminhada, jogging e dança, foram os primeiros exercícios de terapia prescritos para reduzir a perda óssea associada à menopausa. Recentes pesquisas sugerem que exercícios de sobrecarga em locais específicos e com impacto promovem um estímulo mais efetivo, ou seja, o exercício não tem somente um efeito sistêmico, mas também um efeito local sobre o osso, visto que o tecido ósseo é sensível às demandas que agem sobre ele e responde prontamente a elas, fazendo com que cada modificação de um osso seja acompanhada por uma alteração específica na arquitetura interna.
Exercícios com pesos ou aqueles em que o indivíduo tem que suportar o peso corporal foram os mais estudados até agora e se mostraram bastante eficientes para estimular o efeito piezelétrico no osso, gerando maior atividade osteoblástica e aumentando a formação óssea através do incremento da síntese de proteínas e de DNA (RASO et al.,1997). Fiatarone et al.(1990), evidenciam que o treinamento de força muscular de alta intensidade (80% de uma repetição máxima) realizado 3X/semana, durante o período de um ano, promove o incremento de dois gramas no conteúdo total de mineral ósseo no mesmo intervalo de tempo.
O American College of Sports Medicine (ACSM) preconiza que um programa de atividades físicas para portadores de osteoporose deverá enfatizar a força e o impacto ,a flexibilidade, a coordenação, o equilíbrio e o condicionamento cardiovascular, já que esses fatores contribuirão indiretamente para a melhora da Osteoporose, pois diminuirão do risco de queda e habilitarão o idoso a ter um estilo de vida mais ativo, evitando assim a perda óssea pela inatividade. Isso nos leva a crer que não somente atividades de alto perfil osteogênico (como musculação , caminhadas) são indicadas contra a osteoporose. O fortalecimento muscular do idoso fará maior pressão nas estruturas ósseas vizinhas. O desenvolvimento do equilíbrio levará o idoso a ter maior consciência corporal , com menor risco de quedas. Atividades físicas de caráter aeróbio também beneficiarão o idoso, por darem a ele uma maior disposição para as tarefas diárias, permitindo com que ele desenvolva o hábito de uma vida mais ativa."em cdof.com.br"